Support independent publishing: Buy this book on Lulu.

Descarregar Gratuitamente (pdf)


BIBLIOGRAFIA DA «BELFASTADA»
H. D. Cerqueira de Souza
Fontes & Documentos para a História de Portugal, 2016
Caderno, 8 p.

ABSTRACT: In 1828, the British steamboat «Belfast» was rented by some Portuguese exiled political activists to take them to Oporto where they expected to join the local uprisal in triumph. A week later they were back in Plymouth, leaving behind a trail of chaos. The all episode came to be known as the «Belfastada». This short bibliography lists an eclectic group of books and articles and its references to the event.

Introdução, pp. 1-2: O vapor inglês Belfast, um dos primeiros a fazer a ligação regular das ilhas Britânicas com o continente europeu no primeiro quartel do século XIX, transportou em Junho de 1828 um conjunto de 29 emigrados portugueses, de Plymouth para o Porto, e uma semana depois, novamente para Plymouth. Esse episódio, trágico para todos os intervenientes, foi o remate final dos levantamentos de Aveiro e Porto, contra o Senhor Dom Miguel e a sua legitimidade, e ficou depreciativamente conhecido por Belfastada, devido ao nome do barco que os transportava.
Esta bibliografia singela pretende reunir um conjunto de referências à Belfastada, ou ao Belfast (no contexto desse episódio das guerras liberais), coligidas de forma dispersa, sem carácter exaustivo, e em publicações de todo o tipo (história ou ficção, pontuais ou periódicas, nacionais ou estrangeiras, etc.). Pese embora a sua modéstia, justifica-se a publicação por se constituir como um instrumento de pesquisa, sobretudo tendo em consideração o interesse do tema e a inexistência de outras obras de referência. A ausência de indexação temática, quer na Biblioteca Nacional, quer nas principais bibliotecas em Portugal, é uma lacuna que o artigo poderá suprir parcialmente.
Em conclusão, as referências ao Belfast são mais frequentes em obras impressas nos anos imediatos (1828-34) e mesmo depois quase até ao final do séc. XIX, o que revela um certo pudor no uso do epíteto Belfastada, e reforça a ideia de que era uma designação depreciativa. Só a partir do séc. XX é que as referências ao barco diminuem consideravelmente e o uso de Belfastada passa a ser corrente.

Como citar: SOUZA, H. D. Cerqueira de (2016). Bibliografia da «Belfastada». 1ª ed. Palmela: Fontes & Documentos para a História de Portugal.